Saúde

18 de Janeiro de 2019 às 08:43:51h

Secretário de Saúde fala sobre a intervenção do Hospital Regional e suas dívidas

O Governo do Estado levou em consideração a ‘inexecuções indevidas’ por parte do Gerir que está à frente do Hospital desde de dezembro de 2017. O governador disse que “a empresa descumpriu gravemente o contrato”. O ex-governador Pedro Taques havia aberto uma licitação para a contratação de uma empresa para administrar o Regional, Mauro revogou esta decisão.

Esta é a segunda intervenção em apenas 4 anos, no governo de Silval Barbosa, a intervenção no Hospital Regional de Sinop, que na época estava sob responsabilidade da Organização Social (OS) Fundação de Saúde Comunitária de Sinop. Na época foi designado o servidor Manoelito da Silva Rodrigues, diretor Geral do Escritório Regional de Saúde de Sinop, como interventor para estar frente à direção do Hospital e tomar todas as medidas estabelecidas pelo Decreto.

No governo Pedro Taques, a Fundação Santo Antônio voltou a administrar o Regional e pôs fim a intervenção.

A Gerir, em nota, esclarece o final da administração do Hospital Regional e relata a divida que o Estado possui com a empresa.

Nota

A diretoria do Instituto Gerir esclarece que o contrato de gestão no HRSinop se encerra dia 31 de janeiro de 2019. Somada, a dívida do Governo de Mato Grosso com o Instituto Gerir corresponde a mais de R$ 30 milhões em custeios atrasados, tanto em Sinop, quanto em Rondonópolis, no Hospital Regional Irmã Elza Giovanella. A alegação divulgada pela imprensa citando quebra de contrato é inconsistente e inverídica, uma vez que sem o pagamento dos recursos acordados, e que deveriam ter sido repassados em dia, não é possível fazer a gestão hospitalar e a retenção de 3% deste valor. Por fim, acreditamos que o Governo de Mato Grosso deve se pautar nos princípios da ética e da moralidade para quitar as dívidas com os colaboradores, fornecedores e médicos dos Hospitais Regionais de Sinop e Rondonópolis. O Gerir irá fornecer lista para a Secretaria de Saúde contendo os débitos em atrasos de todos os fornecedores dos hospitais e espera que o Governo do Estado de Mato Grosso honre com os compromissos firmados em contrato.

Fonte: VisãoNotícias

Vídeo