Política

08 de Maio de 2019 às 09:15:05h

PSL projeta lançar prefeitos nos municípios polos do Estado

Até 2018, o Partido Social Liberal (PSL) era um partido nanico que mal aparecia em pesquisas e bancadas, inclusive em Mato Grosso, onde havia apenas um vereador entre os políticos do partido eleito. Com a eleição de Jair Bolsonaro em âmbito nacional e nomes como Nelson Barbudo e Selma Arruda em Mato Grosso, o partido se reinventou e se prepara para as eleições municipais de 2020, já estudando nomes para as prefeituras de cidades polo e também de Cuiabá.

Segundo o presidente do partido em Mato Grosso, o deputado federal Nelson Barbudo, a estratégia para o próximo ano é lançar o maior número de candidatos ao Executivo e Legislativo nos municípios. Entre as cidades que já possuem nomes cotados estão a Capital, Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá), Primavera do Leste (231 km ao Sul) E Campo Verde (131 km ao Sul).

Apesar da preparação, Barbudo não adiantou quem seriam os nomes mais cotados. “Estamos trabalhando e fazendo as executivas provisórias. Em 60 municípios estão prontas e em 51 serão definidos ainda esse mês. Queremos lançar o máximo de candidatos próprios”.

Sem um nome forte que trouxesse políticos e pretensos candidatos ao partido, o único nome de destaque do PSL em Mato Grosso era o vereador de Cuiabá Wilson Kero Kero. Depois das últimas eleições, em que também foram eleitos pelo partido os deputados estaduais Delegado Claudinei e Silvio Favero, mais nomes começaram a procurar o PSL com intenção de migrar.

Segundo Barbudo, a primeira “adesão” foi do prefeito Iraldo Ebertz, de Tapurah (433 km a Médio-Norte). “O prefeito de Tapurah já veio e outros 5 virão para o PSL e chegaremos a 10 que virão no período de janela”. Em relação aos vereadores, o parlamentar afirma que a perspectiva também é boa. “Mais de 40 que já estão eleitos querem vir durante o período de janela, fora os que ainda podem ser eleitos”.

Com segredo sobre os possíveis nomes que podem disputar as eleições, especialmente em Cuiabá, Barbudo adiantou apenas que a prioridade é ter uma candidatura do partido. “Minha paixão é o PSL ter candidato próprio. Mas não vamos nos negar a conversar com todos que nos convidarem”.

Fonte: Da Redação