Política

11 de Janeiro de 2019 às 08:08:30h

Mauro diz que seria o primeiro a entrar em greve se paralisação solucionasse problemas de MT

O governador Mauro Mendes (DEM) afirmou nesta quinta-feira (10) que o calendário planejado para os salários atrasados desde dezembro já propiciou pagamento a cerca de 80% dos servidores. “Alguns que ganham mais vão receber ao longo do mês”, disse o chefe do Poder Executivo. Ele usou os dados para argumentar contra a possibilidade de uma greve geral, algo que foi veiculado pelo fórum sindical na quarta-feira. Segundo o governador, paralisar as atividades não ajudaria em nada.

“Se alguém provar para mim que se fizer greve vai resolver os problemas de Mato Grosso, eu serei o primeiro a entrar em greve”, destacou o democrata em tom de ironia.

Ciente dos atraso e buscando soluções, Mendes entregou nesta quinta, na Assembleia Legislativa, o pacote de leis, denominado “Pacto por Mato Grosso”, que busca estabelecer parâmetros legais para o enfrentamento das dificuldades financeiras às quais enfrenta o Estado.

Os projetos são referentes à reforma administrativa, que visa reduzir de 24 para 15 secretarias e pede autorização ao Legislativo para a extinção de 6 empresas mistas, à reedição do Fundo Estadual de Transportes e Habitação (Fethab), garantindo que 25% da arrecadação sejam destinados exclusivamente à Secretaria de Infraestrutura para a manutenção das rodovias estaduais.

Também foi protocolado projeto de lei para a regulamentação de critérios na concessão da Revisão Geral Anual (RGA), além de proposta para a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), buscando equilíbrio financeiro para o Estado. Para esclarecer sobre o planejamento, o político fez uma comparação com uma situação cotidiana.

“Em Mato Grosso é mais ou menos como um carro andando numa estrada de chão, cheia de atoleiro, cheia de dificuldades e o carro atola. Quando o carro atola, se você desce do carro, olha, analisa, cria uma estratégia, vai no meio do mato, corta um pau, joga uma pedra, tira o barro, bota o volante na direção certa, Alguém que está dentro do carro desce pra aliviar o peso, um empurra, põe um motorista mais experiente no volante, mexe direitinho, você sai do atoleiro”, comparou Mauro Mendes.

“Se você atola, não quer sair do carro e começa a fazer ‘rum, rum’... o que é que acontece? Atola mais ainda. Então nesse momento de grande crise nós precisamos ter estratégia, saber o que fazer, tomar medidas corretas, finalizou o governador.

Fonte: Gazeta Digital