Polícia

28 de Setembro de 2021 às 13:05:50h

Estudante de Medicina acusa tenentes da Polícia Militar de agressão

Um estudante de Medicina, identificado como R.P.C., 24 anos, registrou um boletim de ocorrência acusando dois tenentes da Polícia Militar de agressão. O fato teria acontecido na madrugada de domingo (26) após o universitário, que é filho de um coronel da reserva remunerada, bater no carro de um dos supostos agressores

R.P.C. relatou que o acidente ocorreu na Rua Osvaldo da Silva Correia, no bairro Despraiado, na Capital. O estudante explicou que seguia pela via quando bateu no carro de um dos tenentes.

Após a colisão, o universitário disse que desceu do carro e disse ao oficial que iria arcar com as despesas da batida e que até deixaria a sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH) com o militar.

O universitário contou que na sequência o suposto agressor disse que era tenente, mas em nenhum momento apresentou algum documento que o identificasse.

Na sequência, o tenente tirou fotos do carro e anotou a placa do veículo do universitário. Logo depois, a vítima disse que iria embora e, segundo o estudante, o militar desferiu um murro no seu rosto. Devido à agressão, o filho do coronel caiu. Na sequência, o policial teria dado outros socos e chutes no denunciante.

Após as agressões, a esposa do tenente ligou para outro homem que chegou dizendo que era policial, mas que também não apresentou nenhum momento que o identificasse.

Ele também teria agredido o universitário e ainda apontado uma arma. Os oficiais da Polícia Militar ainda teriam danificado o celular da vítima e o impedido de fazer gravações.

O universitário disse ainda que chegou a falar que era filho de militar e que não precisava ser agredido. Entretanto, os tenentes teriam xingado o universitário e ainda dito que ele era um “bosta”.

Diante dos fatos, uma viatura da Polícia Militar foi ao local e liberou as partes.

Após os fatos, o universitário foi à Central de Flagrantes para registrar a denúncia contra os militares.

O caso será investigado pela Polícia Civil.

Fonte: hiper Noticias