Polícia

18 de Junho de 2017 às 09:31:41h

PC revela que professor morto se relacionava com assassino

CRIME ESCLARECIDO

Dois jovens, sendo um deles menor de idade, foram detidos pela morte do professor Valdir Alves de Andrade, ocorrida nesta sexta-feira, em Tangará da Serra. As investigações apontaram para o crime de latrocínio, que é o roubo seguido de morte.

De acordo com o delegado João Romano, desde que a morte do professor foi comunicada, as primeiras investigações apontaram para o envolvimento do adolescente. Ele tinha um relacionamento homoafetivo com a vítima e livre acesso a residência.

Após sua detenção, o menor confessou o crime e apontou a participação de Wankley Borges Maciel, 18. Os dois são usuários de drogas e decidiram roubar pertences da casa para trocar por entorpecentes.

“O maior, a princípio, nega a autoria do homicídio, mas ele se coloca no local do crime, assume que dirigiu o veículo da vítima e confessa que o automóvel era um dos objetivos do crime. Ambos são usuários ou senão viciados em drogas e os objetos que eles subtraíram foram ou seriam utilizados para a troca por droga”, disse o delegado.

Ainda segundo Romano, o adolescente apresenta ferimentos nas duas mãos e que pode ter sido o seu sangue encontrado pela Politec nas ruas próximas ao local do crime, chegando a até 200 metros da residência do professor. “Isso denota que a vítima, a princípio, buscou a resistência e acabou executada sem piedade e isso mostra também que o adolescente não teria conseguido executar a morte sozinho, isso mostra que os dois indivíduos executaram o crime juntos”.

O delegado ainda afirmou que havia no corpo do professor marcas de golpe de faca no pescoço e na região entre o tórax e abdômen. “O corpo está todo perfurado de arma branca”, disse.

O carro da vítima foi localizado na região do Centro de Educação de Jovens e Adultos, Ceja Antônio Casagrande, próximo a casa do menor de idade.

Fonte: FolhaMax