Geral

08 de Novembro de 2018 às 17:40:05h

Controladores de velocidade são retirados de Sorriso e demais trechos da BR-163

Os controladores de velocidade, como pardais eletrônicos e radares fixos fotográficos, foram retirados dos trechos da BR-163 que estão sob concessão do Rota do Oeste, a exemplo de Sorriso. Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), novos equipamentos deverão ser instalados pela concessionária e gerenciados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

O processo de instalação já teve início e deve ser concluído em um prazo de 60 dias, segundo a Rota do Oeste.

De acordo com o engenheiro Antônio Gabriel, do DNIT, os equipamentos controladores de velocidade que estavam em todos os trechos da concessão foram desligados e estão sendo retirados. “Isso saiu da responsabilidade do DNIT e passou para a Rota do Oeste”.

Desse modo, foram retirados os radares e pardais que estavam desde o trevo do Lagarto até o início de Rosário Oeste, e do posto Gil até o final do perímetro urbano de Sinop.

Conforme Gabriel, também tem ocorrido manutenção em equipamentos existentes. A empresa responsável pela retirada disse, ao Portal Sorriso, que não tem autorização para divulgar mais informações por razões contratuais.

Troca

Procurada, a Rota do Oeste esclareceu que os radares existentes ao longo de 850,9 quilômetros na BR-163 sob concessão em Mato Grosso, que eram de responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT), estão sendo substituídos atendendo a uma determinação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

"O processo de instalação já teve início e deve ser concluído em um prazo de 60 dias. Vale lembrar que antes de entrar em funcionamento, os equipamentos são aferidos pelo Inmetro e os motoristas são avisados sobre o início efetivo da fiscalização eletrônica de velocidade.  A Rota do Oeste ressalta ainda que não possui atribuição e responsabilidade pela aplicação de multas na BR-163. As informações coletadas nos radares serão repassadas à Polícia Rodoviária Federal (PRF), órgão autuador nestes casos".

Fonte: VisãoNotícias